7.12.11

O futuro já começou



Eu sei que devo estar um pouco antecipada para entrar nessa vibe de retrospectiva, mas um pouco depois que dezembro começa e meu aniversário termina, eu dou um pause dramático (que chamo carinhosamente de estratégico) e vou dar uma espiadinha no que andei fazendo com a minha vida (e o que a minha vida andou fazendo comigo) nos doze meses oferecidos pelo calendário. 
E esse ano foi subnutrido de tanta coisa. Foram perdas incalculáveis, tanto financeiras quanto afetivas. Ainda busco alternativas para lidar com o buraco negro que ficou. Explicitar aqui o que senti e o que ainda sinto, seria uma tentativa vã. 
Mas como nem só de chorro e dramas se faz uma novela mexicana, meu 2011 também teve ápices, com sorrisos, comemorações e esperança. Acho que se tivesse que definir esse ano com uma só palavra, esta seria "começo". Pela primeira vez, em toda a história dos meus 24 anos de sombra e água fresca, eu estou pagando o preço para atingir meus objetivos. E isso inclui terapia, horas sentada em frente ao computador, outras tantas devorando livros e um lista quase infindável de renúncias. Ser concurseiro não é moleza. Para que eu chegasse nesse estágio, foi preciso que a minha mãe segurasse em uma mão, meu pai, em outra e alguns (e poucos, que fique bem claro) seres especiais ficassem na minha frente, com gestos de incentivo. Exatamente como fazem quando estão ensinando alguma criança a andar. E vejam só, eu estou aqui, em pé, andando. Claro que existem os que desestimulam, que torcem contra, que não acreditam. Mas o mais importante dessa jornada, eu já aprendi: tornar sonhos realidade não é fácil nem barato, mas é possível. O que os outros pensam, dizem ou acreditam, já não é problema meu. 
Vou aproveitar o ensejo, para incluir aqui também a seção "Agradecimentos". Afinal, nem o mais forte e nobre dos mortais consegue sozinho tirar um ano do monocromático. São muitos os que merecem as flores e medalhas de ouro por terem ajudado o meu ano acontecer, mas vou tentar não ser enfadonha e falar os mais presentes, mas nem por isso mais importantes que tantos outros, que por algum motivos não puderam  comparecer tanto. 
Primeiramente a Deus, pela força que pulsa e move;  A vovó Edite, por ter sonhado e acreditado em mim, quando eu ainda não conseguia. Aos meus pais, por me ensinarem através do exemplo e inúmeras renúncias pessoais, o que é fé e amor; Ao meu irmão, por aguentar os meus ataques de riso e de choro; Aos meus tios Amaro, Fatinha, Henrique, Narinha, por serem sempre tão bons, solícitos e pacientes comigo; Aos meus amigos amigos Hélio e Raquel por mostrarem a cada dia que ainda vale a pena acreditar em amizade verdadeira, na bondade e boa fé do ser humano; a Filipe, a quem eu sempre pude confiar os maiores segredos e dividir as noites de insônia; A Belbel, por ter um coração transbordante e uma capacidade ímpar de rir das mais adversas situações. E, claro, a vocês que vieram aqui, leram meus textos, deixaram uma forcinha, críticas e comentários carinhosos. Meus sinceros agradecimentos e desejo de um Natal cheio de paz e alegria e um Ano Novo do tamanho dos sonhos de cada um. 
Agora é só esperar o velho gordinho chegar com os presentes e escutar incansavelmente "o futuro já começou" da Globo, até que ele comece de verdade e nos livre dessa tortura anual.



P.S. Eu sei que esse texto poderia ser mais caprichado, com uma riqueza maior de detalhes e sem vácuo entre um parágrafo e outro. Peço que relevem e perdoem esses deslizes. Prometo que em 2012, o texto fluirá melhor e virá cheio de cores, purpurina e tudo o que manda o figurino.

7 comentários:

  1. Nossa adorei o texto.. de verdade :)
    um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Depois de uma retrospectiva dessas, a gente quase levita, néam?

    Um beijo, Talita.

    ResponderExcluir
  3. Cada gente linda que temos em nossas vidas né?

    ResponderExcluir
  4. Pôxa! Gostei dos posts, da maneira leve como tu escreve..passo tomorrow...

    ResponderExcluir
  5. Talita, os jovens tem sempre o ímpeto (feliz) de fazerem o sinal ficar verde. Pois como disse o Belchior, "o sinal está sempre fechado para os jovens. E este desbravamento sempre ou quase sempre é coroado, com consquistas e o principal, com o amadurecimento inevitável e necessário à medida que o tempo vai passando. Isso eu tenho visto com você, uma apaixonada pela vida, pelas pessoas, pelo não-medo. Eu desejo que o futuro seja todo dia para você e seja sempre de forma que seus passos não sejam importunados por pedras no caminho. Elas existirão sempre, porém a cada etapa de seu crescimento vai aprendendo a hora que é para chutar, a hora que é para contorná-las, a hora que é para esperar que rolem para você passar livremente e com esta mesma coragem, disposição, saúde e alegria. Muita paz e bem para você e toda essa famíia-sustentáculo , tão importante nas vidas de todos nós. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. Ow, querida... Você é demais! OBRIGADO por tudo! (Saí correndo! xD =***********************)

    ResponderExcluir
  7. E vamo que vamo, Talitinha. Que nesse novo ano você tenha mais, bem mais felicidades que tristezas. Um beijo.

    ResponderExcluir

Fale agora ou cale-se para sempre.