21.10.10

Balança, mas não para





Há momentos em que aparecem abismos em nosso caminho. Seria mais fácil se fossem curvas, pedras, talvez areia movediça. Mas não. São abismos mesmo. E é nesse exato momento que vida pede ação, exige que decisões sejam tomadas. Ela grita. Curta e grossa. Ou vai ou fica, menina! Eu costumo ir. De olhos fechados e peito aberto.

As coisas já não estavam mais tão agradáveis, nem tão incríveis como deveriam. Faltava o combustível: a paixão. Levantar da cama já estava difícil. O dinheiro na conta no final do mês, já não compensava os sacrifícios. Até o café parecia mais amargo que o habitual. O momento oportuno apareceu e dei um basta em toda essa situação. Não dava mais para ficar de espectadora vendo pessoas praticando e torcendo pelo mal dos outros – inclusive o meu. E o pior, gratuitamente, pelo simples prazer de contribuir para desgraça alheia. 

Felizmente, não são todos que andam espalhando por aí maus cheiros e obrigando os outros a engolirem o seu azedume. Ainda existem aqueles com luz própria, que irradiam com seus sorrisos, que torcem e contribuem para felicidade dos outros. A esses, eu deixo meu profundo agradecimento. Por conseguirem, em um mundo estéril e solitário, fazer toda a diferença. Esses seres sublimes já guardei na mala para levar comigo.

Agora a regra do momento é não ter regra. É escutar o som, deixar o coração levar. Afinal, a vida é leve e o meu escritório agora é na praia. Literalmente. Preciso de mais? Sempre precisamos. Mas esse é o momento de aproveitar o PRESENTE, em todos os significados que essa palavra pode ter. 

Aprendemos a encarar bem os abismos quando percebemos que a vida é vôo livre. E apesar dos riscos inerentes ao processo, ‘ela balança, mas nunca pára.’



11 comentários:

  1. a vida seeempre continua... Adorei o texto!

    ResponderExcluir
  2. É verdade, temos que encarar os desafios, que a vida sempre continua! :)

    ResponderExcluir
  3. Olá Talita!
    Vim agradecer a tua visita, volta sempre.
    É verdade a vida tem destas coisas, e às vezes balança mas não cai.

    beijinho,
    José.

    ResponderExcluir
  4. Assim que é bom, Talita! Essa positividade e vontade absoluta me encantam nas pessoas. Trabalho e necessidade de fazer din-din, tem a toda hora e para todos os workhoolics e assemelhados. Bons momentos, no entanto, são poucos e esses sim, é que não podem nem devem ser adiados, relegados. Carpe Diem! Paz e bem.

    ResponderExcluir
  5. Tbm quero um escritorio na praia!!! rs
    Já passei por momentos assim...

    ResponderExcluir
  6. Talita flor, que texto lindo!
    E permita-se viu?
    SEMPRE!

    beijos, e tenha um bom final de semana (:

    ResponderExcluir
  7. não para mesmo. cada aprendizado nosso, é mais um passo dado, missão cumprida. beijos

    ResponderExcluir
  8. Porque essa é minha pequena. Que dá a cara à tapa e vai à luta.

    Amo você, Talitinha.

    Breno

    ResponderExcluir
  9. Eh isso ae flor.
    "Vamos nos permitir, nao ha tempo que volte amor, vamos viver tudo que ha pra viver..." ja dizia Lulu Santos.
    E o tempo eh o senhor de tudo; e Deus eh o senhor do tempo.
    Tudo acontece de acordo com a vontade Dele no tempo Dele e tenha certeza, eh sempre pro nosso melhor.

    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Especialmente hoje, era o tipo de otimismo que eu estava procurando.
    Lindo texto!
    Vários momentos (pessoas) surgem e testam nossa fé e esperança, mas o importante é: NUNCA se render!

    Beijos querida!

    ResponderExcluir

Fale agora ou cale-se para sempre.