23.10.10

Apenas uma chance





Eu passei aquela noite inteira tentando fugir, desviar o olhar, ser forte e fingir que existiam coisas ao meu redor mais importantes do que aquele sorriso. Fiz um esforço tremendo e fiquei o tempo inteiro com uma cara neutra - que só de lembrar me dá nojo da minha covardia, do medo daquela louca atração que estava sentindo.
Tudo o que eu mais queria era aproveitar aquele momento, desligar ou pelo menos diminuir o ritmo do meu cérebro ansioso e fingir que o amanhã só acontece realmente amanhã. Mas não consegui. É isso mesmo! Aquela menina que um dia foi só impulsos, parece que resolveu fugir de dentro de mim. Fiquei sozinha sendo “mulher” o bastante para controlar meus desejos, aprisionando até as mais simples vontades.
É inevitável não sentir vergonha de mim, saudades de mim. Fico procurando toda coragem que tinha para encarar tudo que a vida me proporcionava. De ir em frente e ser feliz, nem que fosse por um breve momento. No outro dia eu poderia olhar no espelho e sentir orgulho,pois por mais que visse no reflexo uma cara toda quebrada e coberta por lágrimas, por pior que fosse o aspecto dela, mesmo assim , ainda seria a minha cara. A única. Ainda assim,  poderia enxergar naquele reflexo uma limpa e bela trindade: corpo,alma e coração. E poderia sentir orgulho por ter sido eu mesma.
Agora estou aqui insone, confusa, sentindo uma coisa repulsiva que nenhum ser humano deveria: ARREPENDIMENTO.  Milhões de “se” invadem a minha mente. “Se eu tivesse beijado.” “Se eu tivesse abraçado” “Se não tivesse sido omissa” “Se tivesse sido eu mesma” “Se..” . Acho que esses “se” são sempre proporcionais à covardia. E no meu caso parece que foi infinita.
Fora meu lado covarde, um outro (meio) motivo pelo qual não dei o beijo tão esperado, um abraço bem apertado, foi por ele ser uma pessoa ilimitada, aquele tipo de gente que não tem as qualidades expiradas no final da noite, alguém com a qual poderíamos passar uma vida inteira e ,mesmo assim, o tempo ainda seria insuficiente para viver tudo desejado. É um alguém quase vício.
Às vezes penso que talvez tenha feito certo. Afinal, água na boca, situações incompletas e mal resolvidas conseguem me deixar pior do que o tal do arrependimento.
Certa ou não. Vou ter que confessar que daria tudo por uma segunda chance E vocês que me perdoem, mas hoje vou ser clichê. Ser igual a todo mundo e querer quando já não tenho mais. Dando valor apenas quando perco.
Vou fazer promessas. Acho que não custa nada. Para falar a verdade, acho que custa muito. Ele custa. É valioso, coisa rara, jóia ímpar. Só que dessa vez pago o preço. Até mesmo o de ser uma boa menina. Serei por toda vida ou só por hoje, se ele quiser. Como quiser. Prometo.



21 comentários:

  1. O doído do amadurecimento é a discrepância entre o hormonal e o racional. Vale a pena o impulso de cede ao que manda o frisson físico? atrapalhará alguma coisa no futuro? Ferirá suscetibilidades alheias ou o brio próprio? Satisfazendo o coração e a cabeça com estas questões, dá para folgar nos gestos e atitudes, dormir sossegada e acordar feliz pelo que tiver escolhido. Desculpe se invado a sua privacidade, falo tudo com grande respeito que nutro por você. Mas não resisti. Abraço grande. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. sabe flor,
    confusa todo mundo fica quando acontece dessas coisas. Mas se ele for realmente tudo isso, oportunidade não vai faltar de vcs se beijarem ♥

    ResponderExcluir
  3. O seu também é interesantíssimo, menina.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. E é nessas pessoas assim que encontramos o vício das querer ficar perto. Vício bom!

    Obrigada menina pelo carinho da visita!

    Beijos de luz!

    ResponderExcluir
  5. Olá querida!
    Vim retribuir a visita!
    Sua postagem está maravilhosa!Adorei!
    Seu cantinho é muito charmoso. Está de parabéns!
    Beijo carinhoso
    Lady

    ResponderExcluir
  6. Lindo seu post, desejo de coração que vc consiga a segunda chance.
    Boa semana, beijos.

    ResponderExcluir
  7. Ah, q lindo! *-*
    Escreve muito bem garota!
    Tenha uma otima segunda!
    :3

    ResponderExcluir
  8. Teus sentimentos são lindos e completamente importantes.

    um beijo querida Talita, lindo teu blog.

    ResponderExcluir
  9. A gente tem que encontrar um meio termo entre a impulsividade e a passividade. Eu ainda prefiro me arrepender de ter feito, do que permanecer no "se". Acho que ainda sou muito menina, essa é a verdade. Mas oh, sou feliz assim (:
    Passar vontade faz um mal danado ..

    Beijo e uma semana iluminada :*

    ResponderExcluir
  10. Esse "E se..." é um verdadeiro tormento. Adorei seu blog.

    Beijos menina.

    ResponderExcluir
  11. olá querida

    obrigada por seguir.Estou te seguindo tb.

    bjss

    http://antene-semakeup.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi, meu blog http://lenjob.blogspot.com está atualizado mas o Castelo http://castelodopoeta.blogspot.com tem hoje uma entrevista com a booker da FORD MODELS, Sandra Sayão.Sugestivo, né? Aguardo você lá.

    João Lenjob

    Infinito, Natureza, Conquista
    João Lenjob

    O amor é tão sagrado
    E intensamente bonito
    É como sentir-se agregado
    Ao sabor do infinito.

    É dizer-se agradecido
    E olhar com delicadeza
    É sentor-se aquecido
    Ao calor da natureza.

    É o sorriso diário
    É ter-se sempre uma pista
    É viver o solidário
    E compor uma conquista.

    ResponderExcluir
  13. Passei por um longo tempo convivendo que os intermináveis "se", e posso com toda certeza concordar com você, é uma das piores sensações do mundo!
    Mas depois de tanto arrependimento, descobri que tudo tem seu tempo, e o que for pra ser seu vai ser...
    Espero que encontre sua felicidade logo, com ou sem a segunda chance!
    Seguindo, adorei aqui!
    Beijo ;*

    ResponderExcluir
  14. Lindo post! seguindo *.*

    http://sonaturally.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Talita! Teu blog é lindo menina : )
    Adorei tudo o li aqui, me identifiquei tanto, tanto... especialmente com este post
    ...Aquela menina que um dia foi só impulsos, parece que resolveu fugir de dentro de mim. Fiquei sozinha sendo “mulher” o bastante para controlar meus desejos, aprisionando até as mais simples vontades", amei isso.

    Estás convidada a conhecer meu blog
    www.enttreaspas.blogspot.com, serás bem-vinda.

    Beijos : )

    ResponderExcluir
  16. Amiga eu amei o seu blog..serei sua seguidora...seus post são maravilhosos...bjus queridaaa!!

    ResponderExcluir
  17. "To lose balance, sometimes, for love, is part of living a balanced life". (Elizabeth Gilbert in Eat, Pray, Love)

    ResponderExcluir
  18. Hello talita..I like your blog:) audince am.wait for my blog.very nice photo.love love love.kısses

    ResponderExcluir

Fale agora ou cale-se para sempre.