27.6.10


"Viva cada história até o último detalhe, tome até a última gota de todos seus momentos porque não há nada mais reles do que abandonar a vida por covardia, esconder-se dela detrás de falsos motivos. Não há nada mais deprimente do que alguém que finge partir quando, na verdade, está fugindo. Furtar-se a viver plenamente com toda a dor, alegria, tristeza, desamores e paixões é o mesmo que não ter nascido.
Mas vá, se sentir que precisa ir. Vá, se o que o move é impossível de domar."



(Ailin Aleixo)

26.6.10


Novas cores, sabores e amores.
Vibrando, brilhando...
Conjuntos infinitos, cheios de delícias.
Agora, estou me permitindo certos excessos!

24.6.10

A beleza dos gerúndios


Desculpe-me, meu bem. Lamento ter magoado você e ter deixado, de forma repentina, de ser tudo aquilo que você sonhou um dia.
Agi por impulso e não me arrependo. Foi impossível não me render aquele rostinho bonito com sorriso confiante e braços abertos chamando para uma vida mais leve, livre e sincera.Acabei de perder você, mas ganhei como prêmio de consolação os melhores beijos, os abraços mais apertados,uma ausência total de expectativas e um garotinho que vai conseguir preencher o meu vazio e solidão até próximo final de semana chegar, quando encontrarei alguém mais brilhante e interessante, mais um plano incrível e mirabolante.Não acho certo você culpar meus atos e minha sinceridade pela sua tristeza. Ela sempre esteve bem aí, escondidinha dentro de você.Agora não adianta chorar,fazer bico ou espernear. Ah, antes que esqueça, eu não era a sua prioridade, primeira opção. Era a única que realmente você tinha.Acho que agora é uma boa hora para você seguir algum caminho e dar vida a ele. E isso ninguém consegue com métodos e sem aflição, infelizmente.Pode ir. E não volte mais, pois acabei de descobrir que você não acompanha o meu ritmo e não existe lugar para você na minha intensidade.As regras e o manual de instruções que você me entregou são tudo aquilo que não preciso agora.Quero mais atos, menos palavras e nenhuma ilusão. E isso não consta na sua imensa lista de promessas.


P.S. Pode continuar com seu julgamento e falso moralismo. Enquanto isso, eu vou seguindo, sorrindo, vivendo e sendo feliz.

16.6.10



"Falam de tudo. Da moral, do comportamento, dos sentimentos, das reações, dos medos, das imperfeições, dos erros, das criancices, ranzinzisses, chatices, mesmices, grandezas, feitos, espantos. Sobretudo falam do comportamento e falam porque supõem saber. Mas não sabem, porque jamais foram capazes de sentir como o outro sente. Se sentissem não falariam."

Nelson Rodrigues

13.6.10

Quiz sexual




Hoje, assim que cheguei de viagem, agarrei my Precious (meu notebook) para verificar como anda minha vida virtual, com a esperança de que estivesse melhor que a real. E deparei-me com seguinte e-mail:

“Linda Menina, desde o início do seu blog venho acompanhando o seu trabalho. De longe, dá para perceber o quanto é talentosa, inteligente e bem-humorada, sabe lidar de uma forma leve e livre sobre temas que, normalmente, preferimos deixar criando poeira no fundo do baú. Porém, percebi que o tema sexualidade não é muito recorrente aqui. Você sente algum problema em falar sobre sua vida sexual? Medo, vergonha? Segredos?
Desculpe-me a curiosidade, mas foi você quem deixou as portas abertas. De certa forma, a sua vida já é um pouco pública.
Parabéns pelas palavras e pelos sorrisos que você proporciona.

Bjos.

Do seu fã T.R. ”


Primeiramente, levei um choque. Não imaginava que os meus desabafos despertavam tanto a atenção de alguém ao ponto de perceber esses pequenos fragmentos. Fico feliz pelos elogios e pelo zelo aos detalhes.

Segue abaixo a minha resposta:


Querido T. R.,

[...]
Eu já passei da fase de ter interrogações no meio das pernas. Hoje, com vinte e dois anos, tenho exclamações explícitas. E uma certeza do que, realmente quero, mas parece que o item anda meio em desuso. Alguns chegam a especular que anda extinto no mercado. Não tenho alternativa a não ser acreditar no invisível.
Queria muito poder dizer que tenho segredos sexuais, desejos sendo incessantemente realizados e ocultos dentro de mim, que o mais selvagem prazer sempre entra em ação. Mas, infelizmente, não posso. A minha vida sexual não é secreta. Ela é inexistente. Simples assim.
Não consigo separar prazer de paixão, tesão de ternura, nem amassos de amor. Desculpe-me desapontá-lo, meu bem, mas minha sexualidade é um fracasso de bilheteria.
Sabe aqueles dias em que você acorda com vontades em lugares estratégicos do seu corpo e você cuida rapidamente para que o “mal” não se alastre por todo o corpo? Aquelas noites em que você vai “dar uma”, porque não nada melhor do que doar o que se tem de melhor, ou até mesmo por não ter nada melhor para fazer?! Aqueles momentos que você mistura solidão, tristeza, insegurança, medo e transforma tudo em sexo? Sabe? Pois é. Eu não sei.
Admiro muito os dependentes ou independentes sexuais. Os felizes que não guardam seus desejos para depois. Mas eu dependo de amor e não vejo outra alternativa a não ser esperá-lo chegar. De tentativas frustradas, o meu histórico já está cheio. Pelo que percebi, aqui, o buraco é mais em cima. Cansei de tentar ser diferente e fazer o espaço no meio das pernas se impor ao do lado esquerdo do peito.
Talvez um dia o improvável aconteça, eu vire a cabeça e mude minha situação. Contudo, acho que só acontecerá se for na mesma sintonia da melodia da cavalgada de Roberto e Erasmo. Se aparecer esse gênio da libido, eu abro exceções e o que ele quiser. Assim, sairei de mim sem sair do que acredito porque “na grandeza deste instante/ o amor cavalga sem saber”

E quando isso acontecer, meu(s) amigo(s), vocês serão os primeiros avisados.

----------------------------------


Se alguém tiver mais algum dúvida, crítica ou observação, pode deixar um comentário ou enviar um e-mail para: aninemedasioc@gmail.com .
Ficarei muito grata e feliz em responder.


Beijitos!